23 jan 2015

Hotel Playa Tranquilo + Scuba San Andrés

DSC_0414

Oi Gente, tudo bem?

Esse é o último post de San Andrés! Vou contar pra vocês sobre a minha experiência em fazer pela primeira vez mergulho. Já aviso que não foi das melhores, rs!

Lá em San Andrés é muito comum o mergulho, principalmente na parte sul da ilha, onde estão os corais. Deixamos para fazer no último dia, isso porque eu tinha certeza que não iria querer fazer mais de uma vez. O Fábio queria ter feito mais umas duas vezes, mas eu me conheço, não sou dessas de ficar muito tempo embaixo d’água (digamos que 5 segundos é o meu máximo, haha!), então falei que eu só iria fazer uma vez mesmo e que se ele quisesse podia fazer outra vez antes sozinho. Mas aí ele não quis, acabamos fazendo nós dois no último dia de viagem.

Um dos lugares que faz mergulho lá é o Scuba San Andrés, que fica no Hotel Playa Tranquilo. Esse hotel é estilo “boutique”, bem pequeno, com algumas casas e quartos, em frente ao mar e cheio de natureza. Geralmente, os hospédes vão com objetivo de mergulhar, uma ou várias vezes. Pra quem procura algo mais tranquilo, sem agitação do centro, é uma ótima escolha se hospedar nesse hotel. Nós passamos lá a última noite, como já íamos fazer o mergulho de dia, pensamos que seria legal ficar por lá mesmo. Foi ótimo, mas acabamos indo jantar e passear no centro, como todas as noites anteriores, rs!

DSC_0440

DSC_0437

Chegamos no Playa Tranquilo bem cedo, umas 9h da manhã, e fomos direto para a aula de mergulho iniciante. O Fábio já sabia como era, ele já mergulhou várias vezes, mas mesmo assim foi com o pessoal iniciante.

O curso básico de mergulho tem 3 etapas: aula teórica, prática na piscina e mar.

Depois do teórico, até ali estava tudo ótimo, fomos para a piscina do hotel fazer a parte prática. Já comecei a ficar mais tensa, mas ainda estava na piscina, né? Então, tudo ótimo também!

DCIM100GOPRO

DSC04481

DSC04498 DSC04522

Na piscina aprendemos a respirar com o equipamento, qual é a posição correta para nadar com tudo aquilo no corpo e alguns sinais importantes.

O meu problema é que eu respiro apenas pelo nariz, não consigo respirar pela boca mais de 2 segundos! Já pelo nariz tenho alguns problemas na respiração, inclusive isso me atrapalha em várias coisas, na saúde por exemplo. Então, eu tava preocupada com essa questão… como eu ficaria a 10 metros de profundidade tendo que respirar apenas pela boca durante 40 minutos (tempo de mergulho)?

Pois é, gente, sinto muito decepcionar, mas eu não fiquei esse tempo todo lá embaixo! Na verdade, cheguei a 5 metros de profundidade e fiquei uns 5 minutos, apenas! Aconteceu o que eu imaginava, me deu um desespero louco e eu tive que subir! Fiquei chateada, meu instrutor e o Fábio ficaram também, mas não teve jeito. O resto do tempo preferi ficar na superfície, observando tudo lá de cima mesmo. Me senti mais segura, rs!

DCIM100GOPRO

Antes de entrar no mar, feliz, achando que ia ficar um tempão lá embaixo, rs!

DCIM100GOPRO DCIM100GOPRO
DCIM100GOPRO

Estou ali atrás com o instrutor, subindo desesperada, haha! A louca!

DCIM100GOPRO

DCIM100GOPRO

Linda essa cobrinha do mar de bolinhas! Quase nem dá pra ver!

DSC04527

O Fábio é um peixe, sério! Ele ficaria no mar horas e horas se pudesse! Que inveja… rs

DSC04530

Eu de volta à superfície!

Quando acabamos o mergulho, fomos almoçar em um restaurante na praia San Luís com os meninos que fizeram com a gente.

De volta ao hotel, bem mais tranquila, sã e salva, fui curtir a piscina e o sol!

DCIM100GOPRO
DSC_0435 DSC_0423
DSC_0394

DSC_0438

À noite, fomos jantar no centro, como disse anteriormente. Depois encontramos novamente os meninos do mergulho, ficamos conversando em um bar até mais tarde.

No dia seguinte, acordamos cedo, tomamos um café-da-manhã delicioso no hotel e acabamos de nos arrumar para partir. Estava bem triste, não queria ir embora daquela ilha!

DCIM100GOPRO

DCIM100GOPRO

Com o Mo, nosso instrutor no mergulho. Reparem que já tinha uma galera fazendo o curso básico ali atrás!

Apesar de não levar jeito para mergulhar, adorei a experiência! Foi muito bom eu ter superado o meu medo e ter tentando. Não concluí como gostaria, mas o pouco que fiz já foi muito pra mim e valeu super a pena. Vi peixinhos lindos!

Ainda não sei se eu tentaria de novo. O Mo diz que sim, segundo ele eu tenho tudo pra mergulhar tranquilamente. Quem sabe um dia eu tento mais uma vez!

Espero que tenham gostado desse post, da dica desse hotel boutique Playa Tranquilo e de todos os posts sobre San Andrés. Foi uma viagem maravilhosa! Amei muito!!!

Beijos beijos

Hotel Playa Tranquilo

Reservas: playatranquilo@gmail.com

14 jan 2015

Diário de Viagem: San Andrés (Parte 2)

DCIM100GOPRO

Que delícia começar um post de quarta-feira com essa foto de pernas pro ar, literalmente, em uma praia em San Andrés, não é verdade? Hahaha Ai, que vontade de voltar, Meu Deussss! Bom demais!!!

Na foto acima, e na primeira foto abaixo, estava na praia Rocky Cay, que eu falei no outro post (veja aqui o post completo da primeira parte dessa viagem) que foi a minha preferida da Ilha. Passamos a manhã desse dia lá e à tarde fomos para o passeio “Mantarrayas”.

Eu estava louca pra ir nesse passeio, porque disseram que teriam várias arraias no mar e iríamos tirar fotos com elas e tudo mais. Ok, não foi bem assim, rs! O lugar do passeio era o mesmo que já tínhamos ido, o Aquarium, e eu achava que seria algum lugar diferente, já que ali não tinha visto nada de arraia. Mas era lá mesmo e foi diferente da outra vez porque como era à tarde, e quase todos os tours são pela manhã, estava bem mais vazio e tranquilo. Acabou valendo a pena porque nadei mais com os peixes e, sim, eu vi a arraia e tirei foto com ela, rs!

DSC_0301

DCIM100GOPRO DCIM100GOPRO

Que saudade desse mar maravilhoso! Cristalino, perfeito!

DCIM100GOPRO

E a felicidade do peixe olhando pra lente? Hahaha Ameiiii!!!!

DCIM100GOPRO

Eu e minha amiga gostosinha, a arraia!

Lá nesse mesmo passeio, tinha um outro passeio pra quem quisesse ir de barco ver os peixes em outras partes do mar. Paguei 20 mil pesos colombianos, mais ou menos 10 dólares, e fui.

Achei legal ver vários outros peixes coloridos, mais arraias, muitos ouriços de todos os tamanhos e um peixe gigante, que pra mim foi o que valeu o passeio. Por ter tido que ficar olhando pra baixo do barco, porque foi através do chão de vidro que vimos todos esses peixes, eu fiquei totalmente mareada. Estava contando os segundos pra voltar pra areia. Muito ruim ficar mareada, sério!

DCIM100GOPRO

O chão de vidro do barco e os peixinhos!

No dia seguinte, voltamos para a Rocky Cay, nosso point, rs! Passamos o dia todo lá curtindo a praia, o bar/restaurante com música, todo aquele clima do Caribe.

DCIM100GOPRO DCIM100GOPRO

Outro dia, fomos para a parte sul da ilha passear. Nessa área da ilha tem muito vento, então fica bem difícil ficar lá direto, não dá pra sentar e passar horas. Ficamos então alguns minutos em lugares lindos que encontramos e depois fomos para a Rocky Cay almoçar e ficar até o fim da tarde.

DCIM100GOPRO DCIM100GOPRO DCIM100GOPRO

Lugar incrível na parte sul!

Chegando na Rocky Cay, fomos novamente na ilhota que fica ali em frente. Quando voltamos para nossas espreguiçadeiras, almoçamos um belo peixe com arroz e banana frita.

Ahhh, uma coisa que não falei ainda pra vocês é sobre a limonada com côco. Gente, lá é super comum limonada com côco, eu fiquei viciada. Só queria tomar isso! Na praia ou em restaurante, eu sempre pedia essa bebida. Delicinha!!!

DCIM100GOPRO

DCIM100GOPRO DCIM100GOPRO

Eu com nosso querido garçom do bar/restaurante “Aqua” em Rocky Cay, se tornou nosso amigo!

No dia 2 de janeiro, à noite, fomos jantar no restaurante mais famoso de San Andrés, o La Regatta. Queríamos ter ido lá na noite de Reveillon, mas quando fomos fazer a reserva já não tinha mais vaga até o dia 2, por isso só conseguimos ir nessa noite.

Realmente, foi onde comemos melhor na ilha! O serviço é rápido, o que é um grande diferencial (tudo na ilha é super demorado), o peixe é bem fresquinho, os acompanhamentos bem feitos, o ambiente bem decorado e a nossa mesa foi na janela, onde víamos o mar. Enfim, valeu muito a pena! Dizem que o presidente da Colômbia sempre vai lá e, deve ser, por isso que ficou tão conhecido e requisitado.

IMG_3771

No dia 3, fomos fazer mergulho, mas isso é papo para outro post. Vou mostrar pra vocês como foi essa minha aventura em breve!

No dia 31 de dezembro, fomos para a Ilha Cayo Bolívar, a melhor de todas! Amanhã tem um post todinho sobre esse passeio! Vocês vão saber como é pra chegar e voltar de lá. Algo que eu nunca imaginei passar na minha vida! Voltem aqui amanhã pra ver, tá?

Depois de tudo isso, dia 4 de janeiro, foi dia de dar tchau pra esse lugar que eu tanto me apeguei! Não queria ir embora! Queria ficar pelo menos mais um mês, hahaha!

IMG_3792

Deixar um mar desses é loucura, não é não?!? Lindo demais!

Espero que tenham gostado!

Beijos!

08 jan 2015

Diário de Viagem: San Andrés (Parte 1)

DSC_0292

Oi Gente, tudo bem?

A minha viagem de Reveillon foi simplesmente uma delícia, e digo “simplesmente” no maior sentido literal da palavra, porque é exatamente isso que a ilha San Andrés é: simples.

As pessoas de lá são super legais, todas na mais pura simplicidade e sempre dispostas a ajudar. O mar é algo de maravilhoso, água cristalina, peixes coloridos, tudo quase perfeito! Não posso dizer que foi perfeito, porque lá tem muito vento e acho que isso atrapalha um pouco. Além disso, nos últimos dias que estive por lá, o mar ficou bem sujo mais pro raso. Mas não sujo de porcarias, sujo de algas, sabem? Aquela sujeira do próprio mar, o que fez com que a água ficasse mais escura.

Quando ainda estava pesquisando sobre a ilha, imaginei que seria praia o dia inteiro e sem nada mais pra fazer. Assim como foi nas vezes que fui para as ilhas da Grécia ou para a Sardenha, por exemplo. Levei um livro gigante que comprei especialmente pra ler relaxada na praia. Só que chegando lá, descobri que tinham vários passeios pra fazer em outras ilhas e que, mesmo estando na praia, eu não teria tanto tempo pra ficar lendo. A praia que íamos sempre é a Rocky Cay e lá tem um bar com música e tal, que pra mim foi difícil pegar o livro e me concentrar na leitura, rs!

Em San Andrés o bom é se hospedar perto do centro, onde ficam todos os restaurantes e lojas (tax free). Todo mundo aluga ou um carrinho de golf ou uma scooter, se já souber dirigir uma. Pra quem tem costume de andar de scooter, vale super a pena porque ela não é tão devagar quanto o carrinho de golf, o preço é mais ou menos o mesmo.

Ficando perto do centro, é bem mais fácil pra sair à noite e passear depois da praia. Fica mais próximo também da mehor praia que é a Rocky Cay, como falei anteriormente. Na verdade, lá existem apenas três praias: a praia que fica no centro, Sprat Bight, a Rocky Cay e a San Luis, que fica na outra ponta. O resto da ilha é todo pra mergulhar ou nadar, sem areia. A Sprat Bight é linda, mas tem vento demais e muita gente. A San Luis é um vendaval praticamente, muuuuito vento o tempo todo, impossível de ficar! Lá tem ondas também e a faixa de areia é bem pequena. Ou seja, não curti essa praia, só pra olhar! A Rocky Cay é linda e tem uma ilhota bem em frente em que todo mundo chega caminhando pelo mar, já que a água bate na cintura.

Pra quem gosta de fazer mergulho, vale mais a pena se hospedar no sul da ilha. Lá que acontecem os mergulhos mais bonitos e é bem mais calmo, sem a agitação do centro. Eu também fiz mergulho nessa viagem, estava tensa, morrendo de medo, mas superei tudo e fui! Vou contar pra vocês essa minha experiência em um post à parte. Aguardem!

Na primeira foto aí acima é a praia Rocky Cay, dá pra ver a ilhota que falei. Bem atrás tem um navio encalhado, muito legal, rs! Vocês vão ver nas fotos abaixo:

DCIM100GOPRO

DCIM100GOPRO

No dia seguinte, fizemos o passeio para as Ilhas Aquarium, Haynes Cay e Johnny Cay.

Na Aquarium vimos muitos peixes, a água estava super transparente, uma cor de tirar o folêgo! Sério, lindo demais! Não é à toa que lá é conhecido como o “mar das 7 cores”. E que cores!!!

DCIM100GOPRO

DCIM100GOPRO DCIM100GOPRO

DCIM100GOPRO

DCIM100GOPRO

Todos os tours vão pela manhã, quase que no mesmo horário, então vocês podem imaginar a quantidade de gente, né? Confesso que seria bem mais lindo se tivesse menos da metade das pessoas, mas tudo bem. Voltei lá outro dia à tarde e estava ótimo! Fui fazer outro passeio, mas isso é assunto para o próximo post sobre a viagem.

Ao lado da Aquarium fica a Haynes Cay, que as pessoas também vão andando pelo mar, porque é bem rasinho. Nós levamos os sapatos para usar na água, já sabia que ia precisar. Mas quem não tiver, pode comprar lá mesmo. O preço é mais ou menos o mesmo que pagamos aqui em Santiago, imagino que mais barato do que no Brasil, porque né? Tudo no Brasil acaba sempre sendo mais caro!

DCIM100GOPRO

DCIM100GOPRO

Depois de algum tempo na Haynes Cay admirando essa paisagem, voltamos pra Aquarium, entramos no barco e fomos para a Ilha Johnny Cay.

Na Johnny Cay o mar é tão lindo quanto, mas um pouco mais forte, tem umas ondinhas. Ficamos lá pegando sol, explorando a ilha e almoçamos. À tarde, voltamos pra San Andrés. Vale dizer que durante todos esses dias nossas principais refeições sempre tinham peixe no meio, rs! Eu adoro!

DSC_0045 DSC_0054 DSC_0064 look-johnny-cay
DSC_0093

Outro dia, fomos para o outro lado da ilha conhecer. Passamos a tarde em Westview, onde vimos muuuitos peixes! Cheguei até a ficar com medo (hahaha)… mas graças a Deus nenhum deles me mordeu, estou viva e as fotos ficaram lindas, rs!

DCIM100GOPRO DCIM100GOPRO DCIM100GOPRO

Perto do Westview, indo em direção ao sul, encontramos o Hoyo Soplador, que é um buraco na pedra, de onde saem mega jatos de água do mar. É como se fosse um vulcão, só que vindo do mar! Muito louco!

Quanto maior a onda, maior é o jato que sai dali!

DSC_0123

E aí, gostaram?

Em breve tem mais posts sobre essa viagem!

Beijos beijos