A vida é muito louca ou muito óbvia?

Quem acompanha blogs desde o início, há uns 10 anos atrás deve se lembrar que os “jornalistas de verdade”, aqueles que trabalhavam em revistas de moda e programas de moda na televisão, andaram se revoltando contra as blogueiras. Isso porque, na opinião deles, nós não estávamos capacitadas para falar sobre moda… apenas eles que, sim, eram jornalistas!

Só que assim, muitas das blogueiras tem formação de moda ou, pasmem, de jornalista. Isso mesmo, euzinha aqui sou formada em jornalismo e pós graduada (em Milão, em uma das melhores escolas de moda do mundo) em moda. Outras meninas realmente não tem algumas dessas formações, mas entendem do assunto simplesmente porque gostam. E qual é o problema disso? Pra mim, nenhum, para os tais “jornalistas de verdade” na época, todo!

Eles achavam que nós estávamos ali na semana de moda paulista apenas pra brincar, pra aparecer, pra se divertir. Na cabeça deles não éramos profissionais, blog não era nada além de um passatempo bobo.

De fato, nem nós sabíamos do poder que os blogs teriam em tão pouco tempo! Fazíamos sim por diversão, mas mais ainda por paixão. Dinheiro não tinha, mas o mundo estava mudando e preparando uma surpresa grande para todos os lados. Digo “surpresa” porque nem nós, nem eles, os jornalistas, sabiam o que estava por vir.

Não demorou muito e o jogo virou… porque assim é a vida! Uma enorme roda gigante, um dia você está no topo, e no outro no chão.

As blogueiras começaram a ter influência, as pessoas começaram a seguir as nossas dicas ao invés de seguir dicas de uma revista. Nossas dicas eram (e ainda são) mais reais, além disso nós somos elas, as nossas leitoras. Elas se vêem na gente, por isso começamos a inspirar. E com isso, as marcas começaram a enxergar um novo e potente meio de comunicacão, os blogs não eram mais apenas diversão, mas sim um mercado novo e muito promissor. Foi aí que o que antes era “brincadeira” ou “passatempo”, passou a ser coisa de adulto. Os anunciantes mudaram seu modo de anunciar, começaram a incluir blogueiras em seus planos de marketing anuais. Sim, as revistas continuaram com os anúncios, tinha espaço pra todos. Que maravilha! Assim que é bom! Mas, o mundo gira e gira rápido! Se você não se segurar bem forte, você vai cair!

E foi isso que aconteceu esses dias, várias revistas GRANDES acabaram! Isso mesmo, ACABARAM! Deixaram muitos profissionais na rua… muitos deles agora com seus blogs, seus Instagrams e seus canais no Youtube.

As revistas acabaram porque simplesmente as pessoas pararam de comprar. Com o meio digital aí, tão fácil, tão acessível, tão rápido na informação e tão mão dupla na comunicação, não tem mais razão para alguém ir na banca de jornal e comprar uma revista. Por isso muitas delas estão acabando. E digo, acabando! Não estão migrando pro mundo digital não, estão acabando mesmo, pra sempre!

Com isso quero dizer duas coisas essenciais pra VIDA:

  1. Não devemos menosprezar os outros pelo fato de que HOJE você está no topo. Você pode se sentir superior agora, mas pare e pense: “Será que amanhã eu estarei aqui? Será que essa pessoa ainda estará aí por baixo? Ou será que precisarei dela? Quem sabe ela não será como eu ou, quiçá, até melhor do que eu!”.

  2. Muito importante pensar à frente, enxergar o que a maioria não enxerga agora, observar o futuro. Se o mundo está mudando, mude antes do que ele. Se não conseguir, pelo menos mude JUNTO com ele! Não fique parado nas suas idéias e não feche a porta pro novo. O mundo é muito maior do que aquilo que estamos vendo nesse minuto. Tudo muda e muda RÁPIDO! Acompanhe essa mudança com clareza e convicção.

Essas duas coisas essenciais pra vida são exatamente isso, essenciais pra vida! Não apenas para esse caso de jornalistas X blogueiras não. Pense na sua própria vida e veja como o mundo dá voltas, analise como você teve que se reinventar pra acompanhar as mudanças. A vida é e sempre foi isso!

Às vezes pensamos: “Como a vida é louca, olha onde estou hoje, olha o que aconteceu com fulano, que sorte a minha por ter encontrado meu amor, que sorte de fulano por ter aquele emprego, blá, blá, blá…”. Mas a vida não tem nada de louca, nós é que não nos damos conta de como a vida é bem óbvia! Tudo que acontece é porque assim deve ser. A vida é ÓBVIA, preste atenção e irá concordar comigo!

Assim como o mundo digital, a vida também é muito rápida! Aproveite e seja feliz!!!

Beijos beijos,

Beta